PenseLivre On Line

Como dizia apropriadamente Samuel Wainer: A PENA É LIVRE, MAS O PAPEL TEM DONO.
Os blogs permitem que, por algum momento, possamos ter a pena livre e, ao mesmo tempo, ter a propriedade do papel.
Neste blog torno públicas algumas reflexões pessoais, textos e publicações pinçadas da web e que me fizeram pensar e repensar melhor a realidade.
Este blog é uma pretenção cidadã e...nada mais!

Procuro por:

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Para os EUA o mundo é um campo de batalha


Acabo de ler GUERRAS SUJAS - O mundo é um campo de Batalha, publicado pela Editora Companhia das Letras. Seu autor, Jeremy Scahill, jornalista investigativo, é estadunidense e ganhador do cobiçado prêmio jornalístico George Polk em 2007.

O tema do livro é assustador: as ações secretas das forças armadas norte-americanas.em vários países pelo mundo. Em nome do combate ao terror, a máquina de matar dos EUA não respeita nenhuma regra (nem as da ONU), nenhuma lei (nem a própria Constituição) e nenhuma fronteira (mesmo sem guerra oficialmente declarada).

Se alguém imaginava que a morte de Osama Bin Laden pudesse significar algum arrefecimento nos assassinatos sem julgamento cometidos pelos Comandos de Operações Especiais do império americano, se enganou. No governo Obama as operações de caça e morte de supostos terroristas mais do que dobraram. Na página 658 consta uma afirmação do Comando de Operações Especiais-SOCOM de que suas forças estão presentes em mais de cem países. Estará o Brasil nesta lista?


Jeremy Scahill
E se alguém também pudesse imaginar que a segurança dos norte-americanos melhorou, também se enganou. O autor do livro deixa na página 664 as seguintes perguntas: "Nossos próprios atos, executados em nome da segurança nacional, estão nos deixando mais seguros ou menos seguros? Estão eliminando mais inimigos do que os incentivando?" O livro mostra que, na realidade, a expansão do campo de batalha para o resto do mundo mostra que os norte-americanos estão a cada dia menos seguros na medida diretamente proporcional aos inimigos que vão criando.

O livro merece ser lido. Concluo com a frase final do livro: AQ pergunta que todos os americanos devem se fazer vem sendo adiada penosamente: como se acaba com uma guerra como essa?
Postar um comentário